Tesouro Direto: Como Funciona e Como Investir

Se você está insatisfeito com a rentabilidade da poupança e quer fazer seu dinheiro render mais sem ter que correr grandes riscos, então esse post tem a solução ideal para você.

E o melhor de tudo é que você pode começar a investir com apenas R$ 30.

Esse investimento é o Tesouro Direto.

Segundo dados oficiais, 2,8 milhões de pessoas já investem no Tesouro Direto e os números não param de crescer. Desde 2017, mais de 1 milhão de novos investidores começaram a investir nessa aplicação.

Mas agora talvez você esteja se perguntado, o que é o Tesouro Direto, qual o retorno que você pode ter e quais os primeiros passos para investir.

Se esse for o seu caso pode ficar tranquilo, pois agora, você vai descobrir tudo que você precisa saber para investir no Tesouro Direto com sucesso. Veja os tópicos abordados:

  • O que é o Tesouro Direto
  • Como funciona?
  • Qual o retorno que vou ter?
  • Como faço para investir?
  • Quais os Títulos do Tesouro Direto
  • Qual o valor mínimo
  • Quais os custos que vou ter?
  • Os primeiros passos práticos para comprar seu primeiro título do Tesouro Direto
O Tesouro Direto é uma excelente aplicação de renda fixa, mas se você quiser alcançar rentabilidades maiores ainda, recomendo você baixar agora o eBook grátis "A Estratégia Definitiva Para Vencer na Bolsa de Valores" e descobrir como conquistar altas rentabilidades, com risco quase zero e no máximo 30 minutos de dedicação por semana.

Continue lendo até o fim para descobrir tudo sobre o Tesouro Direto.

1. O que é o Tesouro Direto

O Tesouro Direto é um programa criado pelo Tesouro Nacional junto com a BM&FBovespa (bolsa de valores brasileira) para que pessoas físicas possam investir o seu dinheiro comprando títulos públicos federais.

Antes, isso era possível somente através de fundos de investimentos de bancos. Mas como a taxa de administração era muito alta, principalmente para quem investia pouco, muitas pessoas ficavam de fora.

O que era ruim para todo mundo, por isso, surgiu o programa do Tesouro Direto.

Então quando você investe no Tesouro Direto, você está na verdade emprestando seu dinheiro ao governo brasileiro. Em troca, o governo devolve o seu dinheiro acrescido de juros, que vão variar conforme o tipo de título que você comprar.

2. Como Funciona o Tesouro Direto

Existem, basicamente, 3 tipos de títulos que você pode comprar através do programa do Tesouro Direto.

Eles funcionam como um contrato, onde você vai ter um tipo de rentabilidade, um prazo de resgate e um valor de face (preço de cada título).

É um pouco diferente da poupança onde basta você investir o seu dinheiro para ele render.

Aqui você escolhe qual o tipo de rentabilidade que você quer e fecha o negócio com o Tesouro.

É muito importante você saber como cada um deles funciona para que você tenha o máximo de rentabilidade e não perca seu dinheiro por besteira (sim, isso pode acontecer, mas depois que você ler esse post você não vai precisar se preocupar com isso).

a) O Tesouro Selic

Esse é um título pós-fixado, ou seja, você não sabe o quanto vai ganhar até o final pois sua remuneração vai variar junto com a Taxa Selic.  

Colocando de maneira simples, a Taxa Selic nada mais é que a taxa de juros utilizada como referência para todas operações que envolvem pagamento ou recebimento de juros (ex. empréstimos e investimentos).

Se a Taxa Selic sobe, os juros de empréstimos também sobem, se ela cai, os juros também caem.

  • Remuneração:

Aqui você vai receber juros de acordo com a variação do CDI (Certificado de Depósito Interbancário), que por sua vez, varia conforme a Taxa Selic.

Por isso ele é considerado pós-fixado.

 Se o CDI estiver em 6% ao ano, é isso que você receberá, se o CDI subir para 8% ao ano, você vai passar a receber essa rentabilidade.

Você ganha mais se a taxa subir e ganha menos se a taxa cair, mas nunca deixa de ganhar.

  • Resgate:

Você pode vender o Tesouro Selic a qualquer momento SEM risco de prejuízos.

A única situação onde você pode perder dinheiro é se você vender antes de completar 30 dias de investimento (pois pode não dar tempo da rentabilidade cobrir seus custos operacionais).

A situação ideal para você investir aqui seria para quando a Taxa Selic estivesse muito baixa e com chances de subir.

b) O Tesouro Prefixado

Aqui você já sabe o quanto vai receber no momento que compra o título.

Não importa se a Taxa Selic subir ou cair, a sua remuneração será a contratada até o final.

  • Remuneração:

Nesse título você vai receber em juros uma taxa pré-fixada no momento da compra (contratação do título).

Se estiver pré fixado em 10% ao ano até 2034, é isso o que você vai receber. Se for 8% ao ano até 2019 é isso o que você vai receber.

Não importa se a Taxa Selic subir ou cair, é isso que você recebe.

  • Resgate:

O resgate pode ser feito a qualquer momento, mas aqui, você pode perder dinheiro se resgatar antes. Mas pode ganhar mais também.

Existe um mecanismo que explica essa possibilidade de lucro ou prejuízo antes do vencimento, mas esse é um assunto para um outro post.

O mais indicado é você deixar o dinheiro até o vencimento para investir com mais tranquilidade e receber a rentabilidade contratada.

c) O Tesouro IPCA+

Aqui você vai receber o mesmo valor que a inflação (medida pelo IPCA) mais um prêmio fixo.

Também conhecido como título misto, pois possui uma taxa fixa e uma taxa variável.

Sendo que a taxa fixa já é conhecida no momento que você contrata e a taxa variável é medida conforme o IPCA varia mês a mês.

O objetivo aqui é que o seu dinheiro se valorize acima da inflação para você não perder poder de compra.

  • Remuneração:

Você vai receber a taxa prefixada no momento do investimento mais o quanto o IPCA variar no período.

Na figura abaixo você pode ver como isso é apresentado na plataforma de investimento do Tesouro Direto:

No título “Tesouro IPCA+ 2024” você vai receber pelo menos 4,76% ao ano mais a variação do IPCA no período, que no caso é até 2024.

Já no título “Tesouro IPCA+ 2035” você vai receber pelo menos 5,09% ao ano mais a variação do IPCA no período, que no caso é até 2035.

  • Resgate:

Você pode resgatar a qualquer momento, mas aqui, você também corre o risco de perder dinheiro se resgatar antes do vencimento.

Você também pode ter um alto ganho de curto prazo.

Mas esse é um assunto mais avançado e portanto, para um outro post.

Para simplificar a sua vida, invista somente o dinheiro que você puder deixar até o vencimento.

  • Rentabilidade

A rentabilidade de cada título vai variar dependendo de vários fatores, como a Taxa Selic e a inflação.

No momento em que escrevo esse post as rentabilidades para cada título são, especificamente:

Fonte: RICO

Veja, por exemplo, o quanto vai render ao ano, cada um dos títulos abaixo de acordo com a tabela acima:

  • Tesouro Selic 2023: igual a Selic
  • Tesouro IPCA+ 2045: 5,09% + Inflação (IPCA)
  • Tesouro Prefixado 2025: 9,55%

Veja que cada título tem uma data de vencimento. Após o vencimento do título, o dinheiro retorna diretamente para a sua conta acrescido dos juros contratados.

3. Valor Mínimo Para Investir

Tesouro Direto como funciona e como investir

Atualmente, você pode investir no Tesouro Direto a partir de R$ 30.

Isso quer dizer que você não precisa ter o dinheiro de um título integral, pois você pode comprar algumas frações dele.

Veja na figura abaixo, o valor mínimo e o valor total de cada título atualmente:

Isso quer dizer que se você tiver R$ 1.000 para investir no Tesouro Direto, você pode comprar 1 título de cada tipo e conseguir uma boa diversificação. Bem legal não é?

4. Custos Operacionais

Quando você investe no Tesouro Direto você deve levar em consideração os custos operacionais para não se decepcionar na hora que você ver a sua rentabilidade.

Os custos operacionais que você terá são os seguintes:

  • Taxa de Custódia da BMFBOVESPA (0,3% aa)

Essa taxa é cobrada pela BMFBOVESPA a cada 6 meses sobre o valor integral do título.

  • Imposto de Renda

O Imposto de renda devido já fica retido na fonte e você não precisa se preocupar.

Ele vai ser cobrado na hora do resgate e somente sobre o rendimento (e não sobre o valor total).

O valor da alíquota segue a tabela regressiva de IR abaixo:

Ou seja, quanto mais tempo você deixar o seu dinheiro investido no Tesouro Direto, menos imposto de renda você terá que pagar.

  • IOF (Impostos de Operações Financeiras)

Esse imposto é cobrado somente se você resgatar seus títulos ANTES deles completarem 30 dias.

A alíquota a ser cobrada varia de acordo com os dias que o dinheiro ficou investido no Tesouro Direto. Variando de 96% a 0% do que rendeu no período.

  • Taxa da Instituição Financeira (corretora)

Algumas corretoras ainda cobram taxas de custódia ou administração.

Mas já aviso que isso é algo que tende a acabar, pois a grande maioria não cobra mais essa taxa.

  • TED ou DOC (taxa de transferência de dinheiro que o seu banco cobra)

Como você só consegue investir no Tesouro Direto através de uma corretora de valores, você precisa enviar o seu dinheiro para lá.

E para isso, você deve utilizar o TED ou DOC. Daí isso vai variar conforme o banco que você utiliza.

Caso você utilize a corretora do seu banco, essa taxa provavelmente não será cobrada. Ou até mesmo um banco digital.

5. Passo a Passo Para Começar a Investir Agora

  1. Escolha uma corretora de valores e abra sua conta.
  2. Estude e entenda os títulos.
  3. Transfira seu dinheiro para a corretora de valores.
  4. Mantenha a disciplina dos aportes mensais para que os juros compostos acelerem o seu enriquecimento.
  5. Faça o acompanhamento mensal.
  6. Continue estudando outros tipos e investimentos para diversificar e aumentar a sua rentabilidade.

Conclusão

Esses são os passos para você começar a investir no Tesouro direto, acumular e manter sua riqueza.

Isso quer dizer que através do Tesouro Direto você pode realmente conquistar sua independência financeira.

Mas para isso você vai precisar de disciplina, controle dos gastos e perseverança.

Não digo que será fácil, mas com certeza vai valer à pena.

E quando você já tiver se familiarizado com o Tesouro Direto, tenho certeza que você vai buscar por maiores rentabilidades.

Afinal, esse é o caminho natural de todas pessoas que conquistaram sua independência financeira e estão aproveitando sua aposentadoria tranquila.

Se esse é um desejo seu, veja nessa vídeo aula gratuita aqui como você pode aumentar sua rentabilidade, sem ter que correr grandes riscos e sem gastar mais do que 30 minutos por semana para isso.

Lá eu explico como qualquer pessoa, mesmo sem experiência, pode investir em ações com segurança e pouco tempo de dedicação sem ter que ser um expert em economia.

Então aproveite essa oportunidade e assista à essa vídeo aula enquanto ela ainda está disponível gratuitamente.

Qualquer dúvida, comentários ou sugestões svocê pode deixar aqui abaixo nos comentários.

Abraços e sucesso,

– Bruno Kataoka

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of