Como Montar a Sua Carteira de Dividendos Para Aposentadoria

Esse é um daqueles posts que eu gostaria de ter lido quando comecei a investir em ações, lá em 2006, mas que fico muito feliz em compartilhar com você.

Se eu tivesse começado com a mentalidade de montar uma carteira de dividendos para aposentadoria, eu teria poupado muito mais tempo, dinheiro e principalmente stress.

Com certeza o caminho teria sido muito mais tranquilo e hoje eu poderia estar recebendo muito mais dividendos das empresas que compõem a minha carteira (não que eu esteja reclamando).

Isso porque no início, eu achava que para enriquecer com ações, eu tinha que comprar na baixa e vender na alta no curto prazo. Eu nem levava os dividendos em consideração e achava que nem faziam tanta diferença assim.

O resultado foi que, passados 3 anos de muito esforço e stress, perdi praticamente metade de tudo que eu tinha.

Felizmente, mudei minha mentalidade a tempo e hoje, além de ter recuperado todo prejuízo, os dividendos que recebo pagam uma boa parte dos meus custos mensais.

E eu achando que eles não fariam tanta diferença assim.

Para que você não tenha que perder seu precioso tempo e dinheiro, é importante que você comece a investir na bolsa de valores com essa mentalidade de montar uma carteira de dividendos para uma aposentadoria tranquila o quanto antes.

Continue lendo para descobrir:

  • Porque montar uma carteira de dividendos para aposentadoria vai deixar você mais tranquilo
  • Como escolher as melhores empresas para montar uma carteira de dividendos para aposentadoria
  • Como saber se uma empresa paga bons dividendos
  • Como turbinar o retorno com dividendos da sua carteira
  • O tipo de empresa que não pode faltar na sua carteira de dividendos

Se você gostou desses tópicos, então clique algum dos ícones acima e compartilhe com seus amigos para que eles também possam conquistar uma aposentadoria tranquila junto com você.

Para complementar o que você vai aprender aqui, baixe agora grátis o ebook "A estratégia definitiva para vencer na bolsa de valores" e comece a montar sua carteira de dividendos para aposentadoria com mais segurança.

Porque montar uma carteira de dividendos para aposentadoria vai deixar você mais tranquilo

Existem 2 grandes razões para você investir em empresas boas e que pagam bons dividendos para a sua aposentadoria:

Razão 1: O IDIV (Índice Dividendos) vem superando o Ibovespa desde sua criação em 2006, o que significa que o preço das ações que compõem o IDIV vem batendo a valorização das ações que compõem o Ibovespa

montar carteira de dividendos para aposentadoria
Fonte: BM&F Bovespa

Desde que a BM&FBovespa criou o IDIV em 2006, foi possível notar que ele tem superado o Ibovespa em 7 de 11 anos.

Ou seja, 7 a 4 para o IDIV desde 2006.

Em alguns momentos subindo mais que o IBOVESPA e em outros, caindo menos.

Veja que de certa forma, as empresas que mais pagam dividendos têm mais qualidade e superam as empresas que compõem o IBOVESPA.

Razão 2: O reinvestimento de dividendos acelera o crescimento do seu patrimônio através dos juros compostos, diminui o seu preço médio e permite a criação de uma boa renda passiva com dividendos para aposentadoria.

Ter a mentalidade de investir em boas empresas que pagam bons dividendos permite que você sofra menos com a oscilação dos preços.

Pois ao reinvestir os dividendos o seu preço médio diminui, sua renda passiva com dividendos aumenta e você ainda cresce seu patrimônio através do poderoso mecanismo dos juros compostos.

Algo praticamente impossível de ser feito com daytrading.

Dessa maneira:

  • quando os preços caem, você foca em buscar por empresas boas que estejam baratas para comprar o máximo de ações que conseguir pelo melhor preço possível.
  • quando os preços sobem, você fica contente, pois o seu patrimônio em ações ficará mais valorizado deixando você mais rico.
  • você fica mais tranquilo durante sua jornada, enquanto vai recebendo cada vez mais dividendos e acelerando a conquista da sua aposentadoria sem se estressar com o sobe e desce de preços.

Em outras palavras, você consegue manter um bom controle emocional, o que permite que você consiga colocar a sua estratégia em prática com sucesso, sem sofrer prejuízos em decorrência do pânico provocado por eventuais quedas de preços.

Investir no IDIV (DIVO11) ou formar carteira própria?

Existem pelo menos 2 maneiras para você investir em empresas boas pagadoras de dividendos.

  • Através das cotas do fundo de ações DIVO11
  • Através do homebroker comprando ações diretamente

Veja agora qual a melhor opção para você.

Cotas de Fundo do DIVO11

DIVO11 nada mais é que uma ETF administrada pelo Itaú Unibanco através da It Now.

Através da compra da ETF (Exchange Traded Funds) que replica o IDIV (DIVO11), você consegue investir em todas as 32 empresas que compõe o IDIV de uma só vez e ter uma rentabilidade muito próxima ao índice.

As caraterísticas, custos e composição do DIVO 11 você pode encontrar aqui.

Para investir em ETFs você deve abrir uma conta em uma corretora e comprar as cotas do fundo por ali.

Entretanto, investir em ETFs tem seus prós e contras.

Segundo Ben Reynolds do site americano Sure Dividend, em artigo traduzido para o português pelo site Investidor Internacional, os prós e contras dos ETFs podem ser resumidos de acordo com o texto abaixo:

A única coisa com a qual não concordo com o texto acima é que você pode"sentar e esquecer".

Nenhum tipo de investimento seu na bolsa de valores deve ser esquecido, mas sim acompanhado. Mesmo se ele for um ETF.

Se você realmente quiser prosperar com ações, você é a melhor pessoa para administrar seus investimentos na bolsa de valores.

Repare que o termo para quem compra ações para o longo prazo é "Buy and Hold" (compre e segure) e não "Buy and Forget" (compre e esqueça). Você deve sempre acompanhar suas empresas para ter certeza que continuam lucrativas.

A maior desvantagem de se investir somente em ETF

A maior desvantagem em se investir em ETF, é em relação ao recebimento dos dividendos através dos ETFs.

Nos ETFs existe, sim, o recebimento de dividendos e o seu automático reinvestimento.

Isso acaba economizando corretagem e tempo para o investidor.

Entretanto, nenhum dinheiro é creditado em sua conta na corretora, você não recebe cotas a mais e só ganha no aumento do preço da cota.

Ou seja, imagine que daqui a uns bons anos, você consegue chegar ao patrimônio de R$ 1 milhão em ETFs.

Espetacular! Você vai estar "bonito e cheiroso".

Mas essa quantidade de ETFs não vai pagar os seus gastos mensais, pois os dividendos que ela paga, já serão reinvestidos automaticamente.

Você só ganha dinheiro se vender os ETFs que possui, pois nada será depositado na sua conta para que você gaste com o que quiser.

Seria como você ter um imóvel avaliado em R$ 1 milhão mas que não gera renda com aluguel e, ao invés disso, só gera custos com condomínio, IPTU e manutenção.

O que fazer?

Portanto, se o seu objetivo é o de criar renda passiva através de dividendos, você deveria, em algum momento da sua vida de investidor, montar uma carteira de dividendos para aposentadoria.

Você até pode começar investindo em DIVO11 se você for um iniciante e tiver pouco dinheiro.

Mas a partir do momento que você tiver juntado mais conhecimento, experiência e dinheiro, parta para a formação de uma carteira de dividendos própria.

Pois dessa maneira, os dividendos pagos por suas empresas serão creditados diretamente em sua conta na corretora e você só precisa reinvesti-los periodicamente (é muito tranquilo e gera pouco custo de corretagem) ou gastá-los com qualquer outra coisa que quiser (uma viagem por exemplo).

Imagine se você tivesse uma carteira de ações que pagasse dividendos o suficiente para cobrir suas contas mensais, que se valorizasse cada vez mais ano após ano e sem que você precise ficar horas e horas acompanhando a bolsa de valores.

Seria incrível não?

Pois saiba que isso tudo é possível!

Então, agora é hora de você aprender como montar uma carteira de dividendos que seja altamente rentável, segura e que não exija mais do que 1 dia de dedicação por semana para administrá-la.

Como escolher boas empresas para montar sua carteira de dividendos para aposentadoria

Aqui é fundamental salientar o que você vai buscar nas empresas para montar sua carteira de dividendos da maneira mais lucrativa e segura possível:

  • Empresas com bons fundamentos
  • Empresas que pagam bons dividendos
  • Empresas com ações baratas

Se você não tem nenhuma empresa em mente, sugiro começar analisando as empresas que compõem o IDIV e selecionar as 10 melhores que você encontrar por ali.

Se quiser agilizar mais ainda o processo, você pode simplesmente escolher empresas que compõem tanto o IDIV, quanto o IBOVESPA. Assim você seleciona somente empresas com alta liquidez e que pagam bons dividendos.

Essa é uma estratégia de seleção de ações utilizada nos EUA conhecida como Dogs os the Dow, que tem como características a sua simplicidade e um excelente retorno médio anual 3% maior que o Dow Jones nos últimos 50 anos.

carteira de dividendos para aposentadoria
"Quer a minha ajuda para montar sua carteira de dividendos?"

Mas aqui ao invés de seguir somente essa estratégia (afinal, ela tem seus pontos fracos), você vai buscar por empresas com bons fundamentos de fato, pois o IBOVESPA é formado pelas ações mais negociadas e não pelas ações com os melhores fundamentos.

[Grátis] 6 Simples Passos Para Investir na Bolsa de Valores

Baixe seu eBook agora.

Encontrando empresas com bons fundamentos

Uma empresa com bons fundamentos é aquela que gera valor aos investidores.

Ou seja, é aquela que apresenta um bom histórico de lucros consistentes, dívida controlada, resiliência às crises e que têm conseguido atrair o dinheiro inteligente.

São junto dessas empresas que você deve ficar para ter uma aposentadoria mais tranquila e próspera.

Por onde começar

Para facilitar a sua análise, você deve sempre olhar para as líderes, dos melhores setores da economia em primeiro e depois ir buscando pelas que sobrarem.

Isso porque as melhores são muito mais fáceis de analisar, são mais seguras para se investir e geralmente pagam mais dividendos. Na bolsa de valores, procure sempre facilitar a sua vida.

Feito isso, é hora de partir para a análise quantitativa das empresas.

Análise quantitativa (analisando os números da empresa)

Aqui você vai simplesmente analisar os indicadores que demonstrem:

  • Bom lucro
  • Bom controle da dívida
  • Bom fluxo de caixa

Você vai encontrar os principais indicadores dentro dos balanços financeiros divulgados pelas empresas no site da BM&FBovespa. Esses dados são devidamente auditados para maior segurança dos investidores.

Vou citar apenas alguns indicadores de muitos que podem ser utilizados, mas que são os meus preferidos.

Para encontrá-los com mais facilidade, você pode procurá-los em sites como Bastter.com (que tem como trunfo oferecer um histórico de fácil acesso dos principais indicadores de cada empresa), Fundamentus e GuiaInvest.

A) Indicadores de lucro:

Aqui você vai aprender meus 2 indicadores preferidos para analisar a lucratividade de uma empresa.

1. Lucro líquido da empresa

Sozinho esse indicador já mostra muita coisa.

Pois ele demonstra tudo que sobrou de dinheiro após a empresa pagar todos os seus custos e impostos.

Portanto, se a sobra for positiva, excelente! Quer dizer que a empresa está conseguindo manter-se no azul.

Porém, sozinho ele não é o suficiente.

É preciso saber por exemplo, se esse lucro está vindo das operações principais ou se ele é fruto de um resultado financeiro forte (juros de investimentos, lucros nos hedges etc).

O ideal e mais seguro é que o lucro esteja vindo das suas operações principais, mas, lucro é melhor que prejuízo no final das contas.

E aqui no lucro líquido, é contabilizado o valor total das vendas, não importando se a venda foi parcelada em 10x ou em 1x.

Para complementar essa análise, você precisa também olhar para o fluxo de caixa (veremos adiante).

2. ROE Retorno sobre o patrimônio

Segundo o blog Bússola do Investidor o ROE pode ser definido como.

O que ele quis dizer no final, é que o ROE deveria, de preferência, ser maior do que o retorno obtido na renda fixa, que caminha junto com a evolução da Taxa Selic.

Então se a Taxa Selic está em 13%, é desejável que o ROE das empresas seja maior do que esse valor.

Isso demonstra que a operação da empresa é lucrativa e que vale a pena investir nela.

B) Indicadores da dívida

Para analisar se a empresa está com sua dívida sob controle, um indicador que gosto muito de analisar é a relação entre tamanho da dívida e tamanho do patrimônio líquido de uma empresa.

O Patrimônio Líquido pode ser definido como a riqueza efetiva da empresa.

Portanto, é interessante saber o quanto da riqueza da empresa está comprometida com a dívida total.

Dívida total / Patrimônio Líquido

Vai dar para você a porcentagem do Patrimônio Líquido que está comprometido com a dívida.

O que considero ideal é que a dívida seja menor que o Patrimônio Líquido.

Entretanto, para alguns setores, é aceitável que a dívida esteja maior que o Patrimônio Líquido, em alguns momentos, como por exemplo o setor elétrico em 2016.

Portanto, sempre que você for analisar esse indicador, leve em consideração os dados do setor e também os dados históricos da empresa para ver qual o nível de endividamento que a empresa está acostumada a trabalhar.

Sempre que uma empresa aumentar seu endividamento é bom ficar de olho no ROE.

Pois segundo o blog Viver de Dividendos, o ideal é que um aumento da dívida provoque um aumento no ROE.

Ou seja, se a empresa está pegando dinheiro emprestado, que seja para aumentar o seu lucro e não para pagar outras dívidas que não consegue quitar, isso é sinal de que a empresa está com sérias dificuldades financeiras.

C) Indicadores do Fluxo de Caixa

O fluxo de caixa mede o quanto de dinheiro efetivamente entrou ou saiu do caixa da empresa durante o período.

Existem diferentes tipos de Fluxo de Caixa, mas um interessante que você pode analisar é o Fluxo de Caixa Livre, que mede o quanto sobrou no caixa da empresa depois de pagar todas as despesas e reinvestir na manutenção (e crescimento) do negócio.

O ideal é que o Fluxo de Caixa Livre esteja sempre positivo (não precisa ser crescente), pois vai indicar que a empresa está conseguindo efetivamente sobrar dinheiro em caixa depois de pagar suas despesas e fazer seus investimentos.

Feita a seleção das empresas com os melhores fundamentos, de acordo com esses 3 critérios que você aprendeu, você deve agora tentar comprá-las pelo menor preço possível.

Como saber se uma empresa paga bons dividendos

montar carteira de dividendos para aposentadoria

Agora que você já sabe identificar empresas boas, você já tem um sólido alicerce para montar uma carteira de dividendos para aposentadoria muito mais segura e sólida que vai te dar mais tranquilidade.

Mas para que você tenha o máximo de segurança e tranquilidade possível, é preciso que você faça uma boa diversificação com pelo menos 10 empresas que paguem bons dividendos.

Então, caso você ainda não tenha conseguido selecionar 10 empresas, você terá que buscar outras que não façam parte do IDIV, mas que paguem bons dividendos.

Para saber se uma empresa paga bons dividendos, você terá que analisar dois indicadores importantes e conhecidos:

  • Dividend Yield
  • Dividend Payout

Veja nesse guia sobre dividendos aonde encontrar essas informações.

Agora, entenda qual o significado de cada um desses indicadores para entender a importância de cada um.

A) Dividend Payout

Vai mostrar para você o quanto do lucro líquido a empresa costuma distribuir através de dividendos ou JSCP.

É interessante você analisar o histórico do dividend payout da empresa (10 anos está de bom tamanho) para você ter uma idéia do perfil dessa empresa: se costuma pagar bons dividendos ou não.

Sabendo que a empresa tem um perfil de boa pagadora de dividendos e que tem conseguido pagar regularmente seus acionistas, as chances são de que ela continue dessa maneira no futuro, o que se traduz em mais segurança e tranquilidade para você.

B) Dividend Yield

Esse indicador vai mostrar para você a quantidade de dividendos que você vai receber em relação ao preço da ação.

Ou seja, você vai ter uma noção do quanto de retorno em relação ao dinheiro investido (preço pago pela ação), que você terá com os dividendos dessa empresa.

Para entender melhor, imagine que uma empresa pagou dividendos de R$ 1,00 por ação durante o ano inteiro e que o seu preço com médio foi de R$ 12,00.

Dividindo R$ 1,00 por R$ 12,00 você vai descobrir que o Dividend Yield dessa empresa foi de 0,0833 ou 8,33%.

O que quer dizer que o retorno somente com os dividendos distribuídos foi de 8,33% em 1 ano (em relação ao preço médio).

Se você pagou R$ 12,00 por ação dessa empresa, então seu retorno foi de 8,33%.

Se você pagou R$ 10,00 por ação o seu retorno foi de 10%.

Então o dividend yield é apenas uma referência, se você realmente vai ter o retorno apontado pelo dividend yield de uma empresa vai depender do preço médio de compra de suas ações.

Mas um dividend yield bom, seria a partir de 4% ao ano. Através do reinvestimento dos dividendos você consegue ir melhorando esse retorno.

Combinando os 2 indicadores

Uma empresa pode ser boa pagadora de dividendos pelo seu Dividend Payout (ex: paga 80% do lucro liquido em dividendos), mas talvez o seu Dividend Yield não compense tanto assim para você, caso o preço das ações seja muito alto. (ex: paga R$ 2,00 por ação mas o preço atual da ação é de R$ 60,00, o dividend yield ficaria em 3,33%).

Portanto, primeiro analise o Dividend Payout para saber quais empresas tem maiores chances de continuarem com essa cultura de alta distribuição de dividendos.

Depois, calcule Dividend Yield com base nos dividendos distribuídos ano passado, mas divida-o em relação ao preço atual que você está analisando para ter uma noção melhor do retorno que você pode ter.

Uma empresa também pode apresentar um Dividend Payout razoável (ex: 30% do lucro líquido), mas ter um alto Dividend Yield em relação ao preço atual, o que é um bom sinal também.

O ideal era que ambos indicadores fossem altos, mas se fosse escolher qual o mais significativo, seria o Dividend Yield, pois ele trará retornos reais para você.

Como turbinar o retorno da sua carteira de dividendos

A maneira mais eficiente para você turbinar o retorno da sua carteira de dividendos é comprando empresas com bons fundamentos quando elas estiverem baratas.

As vantagens que você conquista com isso são espetaculares:

  • mais tranquilidade: empresas boas tem mais chances de reverter uma queda de preços
  • menos stress: ações baratas tendem a demorar menos tempo para subir de preço
  • maior lucratividade: quanto menor o preço pago, maior o lucro
  • maior dividend yield: quanto menor o preço de uma ação, maior o retorno relativo com dividendos

Como saber se as ações estão baratas

Existem diferentes maneiras que os fundamentalistas utilizam para saber quando uma empresa está com seus preços muito baratos.

O mais indicado aqui é você procurar por uma maneira que deixe você mais confiante, seguro e que tome apenas alguns minutos por semana do seu cotidiano.

Muitos preferem utilizar o  Valuation (método do fluxo de caixa descontado) para determinar se o preço de uma ação está abaixo do preço considerado justo.

Essa é uma das técnicas utilizadas por Warren Buffett e grandes gestores de fundo.

Apesar disso, ela é muito trabalhosa e complicada para o pequeno investidor, que tem pouco tempo livre para ficar analisando a grande quantidade de dados necessárias e nada garante que todas as horas de análise vão se traduzir em lucro.

Para fazer a análise de poucas empresas até é possível, mas para analisar diversas já fica muito mais complicado. Seria necessário uma grande equipe para isso, algo fora da realidade para o pequeno investidor.

Alguns gostam de analisar os múltiplos descontados como a relação entre preço e lucro (P/L) e outros indicadores.

Eu particularmente não me sinto seguro, nem confiante utilizando essa estratégia pois a considero muito simplista.

Para analisar se os preços estão com mais chances de cair ou subir, prefiro utilizar o melhor tipo de análise para isso, que é a Análise Técnica. Pois ela foi criada, através de anos de estudos, observações e baseada na teoria de Dow especificamente para estudar a dinâmica dos preços.

Porém, ela sozinha, não é o suficiente para fazer uma boa compra.

A saída que encontrei e que tem entregado resultados expressivos desde 2008

Se assim como eu você busca por alta lucratividade e segurança com pouco tempo de dedicação (1 dia por semana), então você deve buscar por um método de análise que seja produtivo e entregue excelentes resultados.

O que eu faço para conquistar tudo isso, é combinar meus conhecimentos de Análise Técnica e Análise Fundamentalista.

Muitos torcem o nariz quando digo isso, mas muitos outros se identificam com esse pensamento, como o André Rocha (Valor Econômico) e o Diego Wawrzeniak (Bússola do Investidor).

A maior vantagem dessa estratégia é que ela permite que você enxergue, com muito mais clareza e rapidez, quando uma empresa boa está barata.

Isso permite que você analise centenas de empresas e tenha um bom resultado e sem ter que gastar mais do que alguns minutos por semana para isso.

Se você quiser saber mais sobre essa estratégia, é só seguir esse passo a passo onde demonstro através de um exemplo real, como com apenas 5 minutos de análise, consegui comprar uma empresa boa e barata, que paga bons dividendos, e lucrar, só com a valorização de preços, 125,09% em apenas 8 meses.

Depois que você identificou uma empresa boa, que paga bons dividendos e que está com suas ações baratas, tudo que você tem que fazer é comprá-la.

Faça isso para pelo menos 10 empresas para ter mais segurança e conquistar um maior controle emocional, que segundo Warren Buffett é o fator mais importante para qualquer investidor ter sucesso no longo prazo.

O tipo de empresa que NÃO pode faltar na sua carteira de dividendos

Após você ter montado sua carteira de empresas boas e que pagam bons dividendos, você vai ver que algumas pagam mais dividendos que outras.

Mas a que você vai querer na sua carteira, são justamente as empresas com bons fundamentos e que pagam dividendos crescentes.

Veja a valorização que as empresas que pagam dividendos crescentes tiveram nos EUA em relação às outras empresas:

carteira de dividendos para aposentadoria
Fonte: Viver de Dividendos

Veja que o tamanho da valorização das empresas de dividendos crescentes (gráfico roxo) tiveram em relação às outras do mercado. O reinvestimento de dividendos foi considerado para esse cálculo.

Para saber quais empresas tem essas características, você deve primeiro analisar os fundamentos e depois, analisar o histórico de dividendos e bonificações.

Veja um exemplo para ITUB4:

Na tabela acima você consegue ver que os dividendos distribuídos por Itaú Unibanco (ITUB4) têm crescido ano após ano.

Perceba que o Dividend Payout tem se mantido em uma média de 32,10%, alguns anos pagando a mais e outros a menos, mas sempre oscilando em torno desse valor.

Não é um Dividend Payout espetacular, mas isso permite que o Itaú Unibanco consiga reinvestir uma parte maior do seu lucro no crescimento do seu negócio principal e assim gerar lucros cada vez maiores.

Essa estratégia tem dado certo: o pagamento de dividendos cresceu em 552% desde 2000 até 2015.

Agora um outro aspecto importante, mas que poucas pessoas olham, são as bonificações:

Veja que desde 2008 o Itaú tem se esforçado para realizar bonificações aos seus acionistas.

Sendo que desde 2013 até 2016 as bonificações ocorreram em todos os anos.

Somente nos anos de 2010 e 2011 que as bonificações não ocorreram.

Como nas bonificações você recebe gratuitamente novas ações de uma empresa, isso quer dizer que sem você ter que colocar dinheiro do seu bolso, a quantidade de ações que você possui em carteira aumenta.

E quanto mais ações, mais dividendos você recebe.

Se os dividendos tendem a aumentar a cada ano que se passa e a quantidade de ações também, então a sua renda passiva através de dividendos tende a aumentar (muito) a cada ano que se passa.

Muito acima da inflação, diga-se de passagem.

São empresas como essas que você deve ter em carteira e que valem à pena investir uma parcela maior do seu dinheiro.

Conclusão

Hoje você aprendeu os pontos mais importantes para montar um carteira de dividendos para aposentadoria com segurança:

  • Porque montar uma carteira de dividendos para aposentadoria vai deixar você mais tranquilo
  • Como escolher boas empresas para montar uma carteira de dividendos para aposentadoria
  • Como saber se uma empresa paga bons dividendos
  • Como comprar ações de boas empresas por um preço barato
  • O tipo de empresa que não pode faltar na sua carteira de dividendos

Agora você já pode arregaçar as mangas e dar início à sua jornada rumo à uma aposentadoria tranquila, recebendo dividendos crescentes de empresas com bons fundamentos.

Caso você tenha gostado mas esteja com dificuldades de colocar esses passo em prática, eu terei o maior prazer em ajudá-lo.

Veja agora nessa rápida apresentação, como pessoas comuns estão utilizando apenas 30 minutos por semana para montar, com segurança, sua carteira de dividendos para aposentadoria.

Se você gostou do que leu aqui, tenho certeza que vai gostar desse conteúdo gratuito.

Caso tenha ficado alguma dúvida escreva ela abaixo, terei o maior prazer em respondê-las.

 

Grande abraço,

- Bruno Kataoka

2
Deixe um comentário

avatar
1 Comment threads
1 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
2 Comment authors
Brunopasseios em joao pessoa Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
passeios em joao pessoa
Visitante

Tenho um plano para montar uma carteira de ações para fazer investimentos em serviços e manutenção dos nossos veículos uma vez por ano. Possuo uma empresa que oferece passeios em João Pessoa. Meu plano seria usar dos dividendos para fazer manutenção nos veículos, e no período de a cada 5 anos, fazer a troca desses veículos.
O investimento inicial seria de 100K. Seria arriscado, mesmo tendo uma alta diversificação de setores?